segunda-feira, 3 de outubro de 2011

Dia calorento em York


Finalmente o sol resolveu aparecer por essas bandas no final de semana. Mas, como o dia amanhece com 13°C, até o sol se por chega aos 26°C e depois das 19 horas cai para 10°C, é óbvio que eu não podia deixar de arrumar um resfriado daqueles regado à Afrin para desentupir o nariz. E, quando a gente amanhece assim o melhor que se tem a fazer é ficar na cama, curtindo a preguiça, assistindo um filme e se empanturrando de besteiras, certo? Acontece que eu adoro viver perigosamente! Então, para colaborar com meu estado viral, acordei logo às 7horas, me aprumei e peguei um ônibus com uns amigos para a cidadela de York, aqui ao lado (nem preciso dizer que depois de um dia inteiro caminhando embaixo do sol meu estado gripal não é dos mais brandos).
Sábado, um dia lindo de céu azul e sem nuvens, não poderia deixar de ter trapalhadas e elas começaram logo na primeira parte da viagem, dentro do ônibus. Eis que em nosso quarteto fantástico não havia ninguém que sabia onde era a tal da cidade, em qual altura do percurso a gente tinha que descer. Sabíamos apenas o número do busão que deveríamos tomar e a hora de embarque. Por sorte encontramos duas senhorinhas super simpáticas que também desceriam no mesmo local que nós, “oba, já não vamos mais parar no local errado”. Chegando lá, as duas ainda nos deram super dicas de lugares para visitar e ressaltaram: “vocês tem que ir ao castelo, não esqueçam do castelo. É naquela direção” – e apontaram o local. Ok, nota mental anotada, decidimos deixar o deslumbrante castelo para o final da tarde, a fim de fecharmos o dia com chave de ouro. E lá fomos nós para uma caminhada em ruelas estreitas cheias de turistas com dezenas de sacolas, filas intermináveis em todos os restaurantes e um sol quente queimando a cabeça. Vida de turista é assim. Especialmente se você decidir viajar em um final de semana.

York é uma cidade antiqüíssima do condado de Yorkshire, fundada pelos romanos em 71 d.C então dá para imaginar a miscelânea arquitetônica que é possível encontrar por lá. Para começar, há uma muralha imensa que circunda a área antiga da cidade. Construída em 300 d.C, ela está super bem conservada, sendo possível andar sob ela, conhecer as masmorras e ter uma vista linda de todo o local. O centro antigo também é extremamente bem preservado, com arquitetura que varia desde o século 12 até o pós-segunda guerra. Além disso, conta dezenas de cafés e centenas de lojas que vendem tudo o que você imaginar.

A muralha romana


  A primeira parada foi em York Minster, a catedral da cidade, lindíssima e construída em estilo gótico. Sabe o que eu adoro nesse estilo? É que ele é simples. É apenas pedra sob pedra, trabalhadas e emolduradas por mãos talentosas e que formam desenhos de cair o queixo. Não é como a opulência do Barroco e seus milhares de quilos de ouro e madeira entalhada. O gótico é o detalhe. É o desenho que brota da pedra dura. E eu poderia passar o dia inteiro olhando para uma construção assim descobrindo o formato das gárgulas, as pontas, os portais.  Bom, a entrada é de graça, mas para conhecer o museu, o cemitério e subir até o mirante, os padres cobram 20 lilbras, o que é demais para quem quer conhecer vários lugares ainda, né não?  Em vários locais há placas que homenageiam os soldados mortos na guerra contra a África, bem como a 1ª e 2ª guerras mundiais.
York Minster. Se fosse por mim, eu passava mais uns "par" de hora olhando para ela

Eis que depois de darmos uma bela caminhada por tudo, bate aquela fome! E comer bem também faz parte da viagem. Então, nada melhor que um restaurante charmosinho, com mesinhas sob o sol, cerveja gelada e pratos bem servidos para acalmar o estômago. O escolhido da vez foi o Lamb and Lion Inn, um hotel com um restaurante fofo em um jardim arborizado. Avistamos essa belezinha durante o passeio sob a muralha, simplesmente parecia o local perfeito para um bom almoço em um sábado ensolarado.  Para completar o passeio em um local tão tradicional e cheio de história, nada melhor que um prato assim também. A escolha do dia foi o Fish and chips, que nada mais é que peixe empanado com batata frita. Este é, também, um dos pratos típicos da Inglaterra. Prato simples, mas que com alguns adereços na receita ficou fantástico! Neste caso, o peixe fora passado na cerveja antes de ser empanado, como acompanhamento um purê de castanhas (daquelas verdinhas que eu não sei o nome) e uma porção de batata fritas com quase 1 centímetro de espessura cada filete. Um banquete! Compensou cada centavo! Pagamos 10 libras pelo pratão e ficamos satisfeitos o resto do dia. Para acompanhar, descobri meio por acaso uma cidra tipo aquela Ceresér que tem no Brasil, mas por aqui ela é feita de cevada e maçã. O sabor é leve, não estufa e nem dá aquela sensação de arrotos intermináveis como as cervejas – porque, né gente, a gente é lady e lady arrotando em uma tarde de verão não rola! Então, mulherada, #ficaadica.
Cerveja gelada em um lugar lindo! Nada melhor para um almoço em um dia ensolarado!

Por fim, o tão esperado castelo. Ao longo do dia, evitamos passar em ruelas próximas a tal grandiosa construção. Como se fosse aquela última pipoca da bacia que você raspa no sal que caiu ao fundo pra ficar ainda mais salgadinha. Andamos, andamos, andamos mais um pouco... o sol estava escaldando sob nossas cabeças tontas de cerveja e barrigas cheias de peixe frito. Contudo, como bravos guerreiros, continuamos o percurso em busca do objetivo final. (...)
Quanta propaganda enganosa! O tal castelo magnífico que as duas senhorinhas nos falaram nada mais era que uma torre redonda no alto de um monte com um estacionamento em volta. Tudo bem que era uma construção lá do século 12/13, mas confesso que fiquei desapontada, tanto que a foto de registro foi só embaixo mesmo. Àquela altura, os guerreiros vickings de poucos minutos atrás se tornaram bonecas de porcelana que queriam se esconder do sol e tomar mais uma cerveja na beira do rio, apreciando o pôr do sol...
O magnífico castelo

Para vocês, fica uma apresentação de gaita de foles para entrar no clima do próximo final de semana!
Rumo à Escócia!
video


Lamb and Lion Inn
Onde fica: York, 2-4 High Petergate

Quanto custa:  Os pratos custam, em média 8 libras, as bebidas, 2 duas libras

Ponto alto: O jardim arborizado com mesas espalhadas nos fundos da casa

Ponto baixo: Não há garçons. Todos os pedidos devem ser feitos no balcão e o banheiro estava sujo.

Do it again? Com certeza. A comida estava divina!


2 comentários:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...